1 de dezembro de 2010

Tempestade

Não quero pensar no passado
Mas sei que o meu futuro não me promete nada
No meu presente choro por ti
Será que um dia serei feliz?
Quem sabe ainda te encontro
Só não consigo me encontrar
Minha alma está nas profundezas da solidão
Meu corpo é uma máquina
Meus olhos não tem brilho
Minha vida tornou-se uma tempestade sem fim
Nem a chuva consegue me libertar
Meu caso não tem solução
Apesar dos pesares eu vivo
Mas como uma força que é contra a minha força
Cansei de ser uma múmia
Cansei de viver!

Hellen Santos

Hellen Santos

2 comentários:

  1. Nossa... bem melancólico e profundo! Gostei muito! ;)

    ResponderExcluir
  2. Felizmente ou infelizmente o meu estilo é assim, obrigada mesmo.

    ResponderExcluir