21 de agosto de 2011

Injustiça



Não me deixam falar
Mas quando me calo 
Me obrigam a falar!
Será que isso é justo?
Quando quero chorar
Não me deixam
Tenho que engolir o choro
E tentar disfarçar
Quando estou sorrindo
Querem que eu chore
Até quando ?
Cansei de palavras ásperas
De não puder fazer nada...
Quando confio em alguém
No final surge uma desconfiança
E eu é que sou a errada?
Tudo isso aqui é um jogo sujo
Preciso lutar!
Preciso ter voz!
Preciso vencer!
Sempre me obrigam...
A fazer o que eu não quero
Me fazem sentir como um animal enjaulado
Será que isso é vida?
E ainda sou obrigada a sorrir
Querem o meu sangue
Não vou permitir!
Quando quero ficar sozinha,
Não me deixam
Pensam que estou fazendo 'pouco'
O que há de mal nisso ?
E antes de tudo isso
Precisei de uma palavra amiga
De um abraço...
Mas ninguém veio para me ajudar
E se eu retribuo o que me fizeram
Ainda sou a errada
Por que ?
Me obrigam a agir de forma justa
Mas nunca foram justos comigo
A injustiça sempre prevaleceu!
E mesmo assim tenho que obedecer
A regras que não fazem sentido
Me julgam por que 'Eu amo'
Mas por que não se julgam ?
Eu não sou a errada da história
Mas eu cansei de ser boazinha
De fingir que esta tudo bem
Eu vou lutar para tudo isso acabe
Mesmo que me machuquem
Mesmo sangrando eu irei ter liberdade!

Direitos autorais reservados à : Hellen Santos

Um comentário:

  1. Esse poema ficou perfeito... posso sentir uma grande parte dessa injustiça! Mas...
    "Mesmo sangrando eu irei ter minha liberdade!"

    Beijão amor

    ResponderExcluir